Imprimir

Belém recebeu o VIII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental

. Acessos: 870

581A Rede Brasileira de Informação Ambiental (Rebia) esteve presente representada pelo Biólogo e Gestor Ambiental Gustavo BernaFortalecer a educação ambiental brasileira através da consolidação de experiências desenvolvidas em diversos contextos para criar mecanismos de maior divulgação, intercâmbio e avaliação de experiências, consolidando as redes de educação ambiental foi o objetivo do evento.

A Universidade Federal do Pará (UFPA), entre os dias 3 a 6 de dezembro, concentrou debates nacionais e panamazônicos sobre o papel da educação ambiental na formação de valores e na ação social de indivíduos, com o tema Educação Ambiental: Do Local ao Global, Tecendo Redes e Fortalecendo Sociedades Sustentáveis o VIII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental (FBEA). Um importante espaço de reflexão, articulação e convivência de educadores ambientais e que contribuiu para fortalecer as redes de ação que atuam em múltiplos ambientes como universidades, empresas, no poder público e organizações não governamentais.

O evento aconteceu pela primeira vez na região amazônica e foi realizado pela Universidade Federal do Pará (UFPA), por meio do Grupo de Estudos em Educação, Cultura e Meio Ambiente (GEAM) do Instituto de Ciências da Educação (ICED/UFPA). Além disso, teve como agentes promotores a Rede Brasileira de Educação Ambiental (REBEA), Rede Paraense de Educação Ambiental (Rede PAEA) e a Rede Carajás de Educadores Ambientais.

Para a professora Dra. Marilena Loureiro da Silva, coordenadora do VIII FBEA e do Grupo de Pesquisas e Estudos em Educação, Cultura e Meio Ambiente (GEAM/ICED) da UFPA, a realização de um evento nacional sobre educação ambiental na Amazônia ajuda a promover a divulgação da ciência produzida por nossos pesquisadores e como consequência o respeito ao trabalho sério realizado nas universidades da região norte do país. Além disso, o Fórum é “um evento plural de construção dialógica, preocupado com o ambiente local e global, pois não da para pensar em educação ambiental no seu bairro ou cidade sem que ela se relacione com a sustentabilidade planetária”.

O VIII FBEA proporcionou a interação, participação, troca de experiência e fortalecimento das 50 Redes de Educação Ambiental que fazem parte da malha da REBEA e mais os Fóruns e Coletivos que atuam com a temática, além de possibilitar a sensibilização para a questão socioambiental, por meio de socialização de conhecimentos científicos produzidos nessa área e de experiências de educação ambiental realizadas e em realização, estimulando a implementação de políticas públicas.

A REBEA agrega pessoas e organizações que atuam com educação ambiental nos mais diversos territórios e espaços institucionais brasileiros, foi criada em 1992, na atmosfera da Conferência Rio-92, e adotou como carta de princípios o Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global, documento construído pelos seus próprios fundadores em interação com educadores do Brasil e de outros países e possui também um Acordo de Convivência e um conjunto de consensos que orientam sua ação e como documento político norteador a Carta da Praia Vermelha, aprovada no VI FBEA que aconteceu no Rio de Janeiro, em 2009. Dentre seus objetivos a Carta considera a necessidade do enfrentamento da crise ambiental de caráter planetário, representada no momento pela vulnerabilidade a que estamos expostos pelos efeitos das mudanças climáticas e que todos os povos sofrem as consequências da crise ambiental, principalmente os historicamente excluídos, como as minorias nacionais e os povos indígenas.

Eventos Paralelos

Durante o VIII FBEA aconteceram as Jornadas de Educação Ambiental, coordenadas pelas redes de educação ambiental, momento importante de troca de saberes, experiências, compartilhamento de aprendizagem e construção de rumos para atuação futura das organizações e redes em torno da temática proposta pelo Fórum. E também, ocorreu o II Encontro Panamazônico de Educação Ambiental, com o tema Formação de Recursos Humanos para a Conservação e o Uso de Recursos Naturais, onde a UFPA, em conjunto com a Rede Paraense de Educação Ambiental e demais parceiros, propôs um novo “mutirão” regional para, em conjunto com demais atores e instituições representativas de áreas amazônicas de distintos países, formular um Projeto concreto, operacional e viável de cooperação regional ligada às importantes questões atuais da sustentabilidade das sociedades amazônicas, que passa, necessariamente, pela formação e a qualificação de recursos humanos.

Mais informações: www.educacaoambiental.net

VIII FBEA

Fidelis Paixão (Advogado OAB-PA 7818 e Mestrando PPGEDAM / NUMA / UFPA) - Prof. e Pesquisador da CAPES no GEAM - Grupo de Estudos em Educação, Cultura e Meio Ambiente (ICED/UFPA); Facilitador da REBEA - Rede Brasileira de Educação Ambiental e da Rede Paraense de Educação Ambiental; Consultor em Gestão Ambiental e Planejamento do Desenvolvimento Sustentável Local - www.facebook.com/fidelis.martinspaixao

Twitter: @fidelispaixao / Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

ALERJ

DMC Firewall is a Joomla Security extension!