vilmar berna

VILMAR SIDNEI DEMAMAM BERNA - Escritor e jornalista, fundou a Rebia - Rede Brasileira de informação Ambiental (rebia.org.br), e edita deste janeiro de 1996 a Revista do Meio Ambiente (que substituiu o Jornal do Meio Ambiente), e o Portal do Meio Ambiente (portaldomeioambiente.org.br). Em 1999, recebeu no Japão o Prêmio Global 500 da Onu para o Meio Ambiente e, em 2003, o Prêmio verde das Américas. www.escritorvilmarberna.com.br

Imprimir

A vida é uma viagem com dois momentos comuns a todos: nascimento e morte

. Acessos: 735

467

por VILMAR SIDNEI DEMAMAM BERNA

E quando as cortinas se fecham, o espetáculo da vida continua – sem nós –,do mesmo jeito, como já acontece a bilhões de anos. Para a sociedade, um indivíduo a mais ou a menos não faz a menor diferença, assim como para a Natureza, uma espécie a mais ou a menos, também não faz.

Conhece-te a ti mesmo, disse Sócrates. Parece simples, mas nascemos só uma casca, um corpo frágil e cheio de limitações e perdemos a maior parte da vida, enquanto nos tornamos adultos, girando em torno do próprio umbigo, como se o mundo existisse apenas por que existimos. No fundo, ninguém se conhece de verdade. A vida, de tão dinâmica, muda as perguntas antes mesmo de entendermos as respostas. Viver é de improviso e a vida não vem com manual. O problema não é errar. O problema é desistir de tentar fazer melhor outra vez, outra vez, outra vez.

Não pertencemos a este mundo, nem ele a nós. Aqui é apenas um palco em que temos o privilégio de exercer o papel de viver e ser feliz – nos personagens que melhor conseguirmos escolher para nós –, e nada nos impede de trocar de papel se o enredo não agradar.

O mundo é um moinho, dizia Cartola, e vai triturar nossos sonhos. Entretanto, precisamos deles, das utopias, para rompermos com a inércia, enfrentarmos o pessimismo, abrir a porta por dentro.

 

Leia mais artigos do autor


ALERJ

Our website is protected by DMC Firewall!