vilmar berna

VILMAR SIDNEI DEMAMAM BERNA - Escritor e jornalista, fundou a Rebia - Rede Brasileira de informação Ambiental (rebia.org.br), e edita deste janeiro de 1996 a Revista do Meio Ambiente (que substituiu o Jornal do Meio Ambiente), e o Portal do Meio Ambiente (portaldomeioambiente.org.br). Em 1999, recebeu no Japão o Prêmio Global 500 da Onu para o Meio Ambiente e, em 2003, o Prêmio verde das Américas. www.escritorvilmarberna.com.br

Imprimir

Continue caminhando (keep walking)

. Acessos: 781

291Por Vilmar Sidnei Demamam Berna*

“vilmar berna, devemos muito a você – keep walking, por favor!” – Rogério Ruschel (04/12)

A Provocação do Rogério Ruschel (leia box abaixo) me fez refletir sobre este ano que termina e o novo que começa. Quais são as motivações para continuar caminhando?

Para caminhar é relativamente fácil, basta uma ‘vontade de segundafeira’. Quem inicia uma dieta ou uma academia e depois abandona sabe bem o quanto vontade dá e passa. Entretanto, para continuar caminhando é preciso mais.

Por que continuar lutando para ser uma pessoa melhor, para educar filhos melhores para o mundo, para ter um mundo melhor? Por que lutar pelos direitos e maior respeito aos animais? Por uma natureza ecologicamente equilibrada?

Para continuar caminhando é preciso aprender a renovar nossa motivação. Para mim, basta contemplar e conviver com a natureza em seu estado preservado, ou receber o carinho de nossos animais de estimação, ver o sorriso de uma criança, receber o abraço fraterno de um verdadeiro amigo e pronto. Sinto-me renovado!

Entretanto, sei que só isso não basta. Os pensamentos negativos e as informações sobre os problemas do mundo e das pessoas podem fazer um desastre em nossa determinação de caminhar. Para se plantar ou preservar uma floresta é preciso muito esforço, continuado, por décadas, mas para destruir tudo bastam alguns minutos e uma caixa de fósforo. Se não aprendermos a lidar com isso, podemos perder a fé em nós mesmos, achar que não vale a pena, que está tudo perdido mesmo, desistir de caminhar. Não é fácil, especialmente em tempos em que nulidades ocupam cargos e papéis estratégicos em nossa sociedade, e em que o mal parece prosperar muito mais que o bem.

Ninguém é uma ilha em si mesmo, e mais do que nunca precisamos uns dos outros. Buscar ajuda é tão importante quanto oferecer ajuda. Sozinhos estamos fracos e vulneráveis. Juntos, diminuímos a sensação de isolamento, de pequenez diante da enormidade dos problemas, especialmente os socioambientais, de dimensão planetária.

Muitas vezes pensamos em apoio ou ajuda como uma questão material, fi nanceira. São importantes, mas uma palavra sincera – de apoio, ou até uma crítica construtiva – podem fazer a diferença entre continuar caminhando ou desistir. E é aqui que o reconhecimento das pessoas e organizações que respeitamos podem fazer a diferença. Para mim, o comentário do Rogério Ruschel foi fundamental neste momento. É como alguém que diz “você importa, o que você faz importa”! Obrigado, amigo!

Indicadores ambientais

Rogério Ruschel escreveu em 02/12: Amigo com ideia boa. Vilmar Berna, autor de quase 20 livros de educação ambiental e jornalista senior, publicou a edição número 64 de sua Revista do Meio Ambiente fazendo na prática o que prega na teoria. Explico: Vilmar acredita que o jornalismo ambiental precisa se reiventar e que os leitores é que devem escolher o conteúdo a ser publicado. Durante 30 dias dezenas de notícias foram publicadas no perfi l da Rede Brasileira de Informação Ambiental - Rebia do Facebook e Vilmar levou para a versão impressa da revista as mais votadas e mais lidas. Uma lição de humildade e de criatividade de reinvenção do jornalismo por um dos inventores do jornalismo ambiental no Brasil, há mais de 30 anos atrás. Merece sua visita em https://www.facebook.com/rebia.org.br

Resposta do Vilmar: Caro amigo Rogério, a qualifi cação de nosso trabalho por pioneiros e referências, como você, é de grande importância pois nos sinaliza que estamos no caminho certo. Você foi uma das primeiras pessoas, no Brasil, a falar sobre sustentabilidade, com quem tenho aprendido bastante, desde o famoso e inspirador Guia Ruschel de Ecologia (Editora Europa, 1992). Um outro indicador interessante sobre a Rebia pode ser visto na quantidade de acessos a uma das notícias que compartilhamos através da página da Rebia no Facebook (www.facebook.com/rebia.org.br). Em apenas uma semana, por exemplo, de 29/11 06/12, quase 13,5 mil pessoas viram a Cartilha de Legislação Ambiental para Crianças. Publicamos um resumo nas páginas centrais desta edição. E mais, considerando que as tiragens médias no Brasil, de livros e cartilhas, raramente ultrapassam os 3 mil exemplares, a Rebia conseguiu em menos de uma semana “esgotar” umas quatro tiragens, colaborando na divulgação da cultura e no incentivo à leitura, além, claro, de divulgar a legislação ambiental do Brasil e incentivar a formação da cidadania ambiental de nossos jovens e crianças.

Sobre rogério, veja em ruscheleassociados.com.br e facebook.com/rogerio.ruschel.7

 

* vilmar é escritor e jornalista, fundou a rebia - Rede Brasileira de informação ambiental (rebia.org.br), e edita deste janeiro de 1996 a Revista do Meio Ambiente (que substituiu o Jornal do Meio Ambiente), e o Portal do Meio Ambiente (portaldomeioambiente.org.br). Em 1999, recebeu no Japão o Prêmio Global 500 da ONU para o Meio Ambiente e, em 2003, o Prêmio Verde das Américas


{fcomment id = 291}

ALERJ

Our website is protected by DMC Firewall!