Imprimir

E quando os animais MORREM? - [Pag 20 - Ed 56]

. Acessos: 1027

Para onde eles vão?

Essa é uma pergunta tão difícil de responder como o que acontece quan- do o homem morre? A diferença é que o homem formulou várias teorias e forneceu vários relatos, desde os mítico, misticos e religiosos até os científicos e pseudo-científicos, como os de experiência de quase morte. É claro que a tendência do homem é antropocêntrica, dessa forma se acha uma espécie especial e importante, com algum destino mais nobre do que dos animais comuns.

Mas o homem também é um animal, o que o distingue, não o tornando melhor, necessariamente, dos outros é a chamada “razão”. O uso da razão é uma maneira para compensar as faltas do seu corpo, como de pelos suficien- tes para proteger do frio, asas para voar, garras e dentes afiados e coisas do tipo. O motivo do seu relativo sucesso como habitante do velho planeta Terra.

Muitas discussões e elocubrações teológicas e filosóficas foram feitas acerca da existência ou não de alma nos animais. Se a alma está ligada a razão e a “consciência” humanas, os animais então não teriam uma, as- sim como as plantas. Essa visão diminuiu com o passar dos tempos, mes- mo com a expansão humana, começou a valorizar mais os outros seres vi- vos, em vários reinos e espécies, nem todos catalogados ainda pelos sabe- res científicos contemporâneos. Mesmo a Terra é considerada um ser vivo (hipótese Gaia) por algumas correntes de pensamento..

Então, admitindo que exista uma alma, e que os animais também sua alma, o que ocorre com ela quando os animais morrem? Para onde eles vão? Teriam um destino semelhante ao do homem ou seria algo diferente? Haveria um céu e um inferno para os animais? Algumas releituras gnósticas e esotéricas da metempsicose, palavra grega que designa a “transmigração de almas”, em consonância com as teorias evolucionistas que surgiram no século XIX, tor- naram-se famosas por estabelecer uma doutrina em que a alma migra mes- mo entre espécies. Isso é, um caramujo ao reencarnar poderia sair-se coelho, assim sucessivamente, passando pelo homem (que seria mais evoluído).

A linguagem dos animais, o funcionamento do cérebro nos que tem um, suas memórias e lembranças, são pouco compreendidas ainda mesmo em vida. Animais também sonham, isso é fato, tem sonhos bons e pesadelos. Talvez estudando com mais afinco os seus companheiros animais, sem que- rer sbressair-se sobre eles, nem se aproveitar apenas, o homem consiga uma compreensão mais ampla, que leve a resposta da pergunta: quando os bichos morrem o que acontece? Quando os bichos morrem para onde eles vão?

fonte: consistencia.org

 

Você é registrado? Efetue login no menu a direita ou Clique aqui...

ALERJ

DMC Firewall is developed by Dean Marshall Consultancy Ltd