Imprimir

Com inversor fotovoltaico consumidor deixa de pagar energia elétrica

. Acessos: 649

906-1
Eletrotécnico Alírio Macedo consegue zerar o seu custo de energia elétrica em sua casa

Trata-se de um sistema com dois principais benefícios, o econômico ao consumidor, que tem a sua conta zerada e o ambiental, pois contribui para a geração de energia elétrica totalmente limpa, já que é gerada a partir do sol, a fonte inesgotável e abundante de energia no Brasil

Na tarde desta sexta-feira, 18 de dezembro, a Energisa ligou o padrão do primeiro consumidor de Chapadão do Sul com On-Gride, inversor fotovoltaico.

O eletrotécnico Alírio Macedo, de Chapadão do Sul preparou e conduziu o seu próprio projeto e nesta tarde recebeu a equipe da Energisa, vinda de Paranaíba (MS), que executa a ligação.

Trata-se o sistema de geração própria de energia elétrica, que insere na rede pública a energia gerada durante o dia e excedente, através de placas fotovoltaica. Um aparelho do sistema On-Gride faz a inversão e insere na rede a energia gerada e não consumida durante o dia.

906-2
Equipe da Energisa liga o padrão reversor na primeira residência urbana de Chapadão do Sul

O excedente gera um bônus, que o consumidor tem até três anos para consumir. No caso da casa de Alírio, o seu consumo médio mensal é de 104 Kwh e o seu On-Gride vai gerar 150 Kwh/mês. Com esse excedente de 50Mwh/mês, Alírio disse que pretende melhorar a sua qualidade de vida e ainda gerar bônus para alguma eventualidade. Assim, aquele consumidor terá a sua conta de energia zerada.

Passado o período de três anos do Bônus, ele é zerado e novo acúmulo é iniciado. E ainda, pode o gerador de energia usar o bônus, do mesmo pondo gerador, para outros imóveis que estejam cadastrados na concessionária de energia local ou até de outros estados, em seu CPF.

906-3
Novo medidor de energia que alimenta a rede com energia gerada a partir do sol

O Prefeito de Chapadão do Sul, Dr. Luiz Felipe Barreto Magalhães mandou iniciar um projeto para instalação de um On-Gride em um prédio público municipal. Este primeiro projeto é experimental, ele não deverá gerar energia para sobrar bônus, mas vai ser o suficiente para grande economia. No futuro o projeto pode ser alterado para que gere ainda mais energia e mais bônus.

A vida útil do sistema é de 25 a 30 anos e de 07 a 08 anos, em média, ele cobre os custos do projeto e implantação, disse o Eletrotécnico Alírio Macedo.

O eletrotécnico Alírio disse que o seu aparelho conversor é de última geração. Nele existe uma saída USB para computador, que quando conectado, passa todas as informações sobre a geração e consumo da energia. Ele ainda é capaz de passar os dados através do Wi-Fi próprio.

Trata-se de um sistema com dois principais benefícios, o econômico ao consumidor, que tem a sua conta zerada e o ambiental, pois contribui para a geração de energia elétrica totalmente limpa, já que é gerada a partir do sol, a fonte inesgotável e abundante de energia no Brasil.

Para a cidade de Chapadão do Sul o sistema é novidade, mas no campo, várias fazendas já implantaram o sistema e gozam do bônus gerado.

Lembrou Alírio que há linhas de créditos bancários para a elaboração, condução e instalação do On-Gride.

Fonte: Jovemsulnews (Norbertino Angeli)

Sistemas conectados:
Grid-tie

Os sistemas fotovoltaicos de conexão à rede são caracterizados por estaremintegrados à rede elétrica que abastecea população. Diferente dos sistemas isolados que atendem a um propósito específico e local, estes sistemas também são capazes de abastecer a rede elétricacom energia que pode ser utilizada porqualquer consumidor da rede.

Os sistemas conectados têm uma grande vantagem com relação aos sistemas isolados por não utilizarembaterias e controladores de carga. IssoMos torna cerca de 30% mais eficientes e também garante que toda a energia seja utilizada, ou localmente ou emoutro ponto da rede.

Sistemas de conexão à rede podem ser utilizados tanto para abastecer uma residência, ou então simplesmente produzir e injetar a energia na rede elétrica, assim como uma usina hidroelétrica ou térmica.

Para casas e empresas estes sistemas também são chamados de sistemas fotovoltaicos de auto-consumo. Se o proprietário do sistema produzir mais energia do que consome, a energia produzida fará com que o medidor“gire para trás”. Quando produzir menosdo que consome, o medidor deverá“girar mais devagar”. Vale observarque o medidor deve ser apropriado para contabilizar o fluxo de energia nos dois sentidos.

Do ponto de vista dos componentes, um sistema fotovoltaico grid-tie é composto por painéis solares e inversores. Os inversores grid-tie, além de transformar a corrente contínua em alternada, devem sincronizar o sistema com a rede pública. Por o sistema estar conectado à rede, a falta de energia é compensada pela mesma, o que elimina a necessidade de baterias.

Fonte: www.neosolar.com.br

ALERJ

Our website is protected by DMC Firewall!