Imprimir

Porque abandonei o consumo de carne, leite, ovos e seus derivados?

. Acessos: 476


Os animais são meus amigos e meus irmãos, e não costumo comer amigos e irmãos nas refeições. Recuso-me a comer ovos, leite e seus derivados como queijos, ricota, manteiga, iogurtes, etc, pela mesma razão que me recuso a comer qualquer tipo de carne, branca ou vermelha: por uma questão de ética, de consciência e de coerência

Por Vilmar Sidnei Demamam Berna*

Dediquei toda a minha vida à defesa dos animais e da natureza, eB isso inclui combater toda e qualquer crueldade contra os animais, e não há nada mais incoerente e sem credibilidade que defendera natureza, mas comer e beber animais. Para produzir ovos e leite os animais sofrem todo tipo de crueldade e perda de liberdade. E não são apenas os animais de sangue quente que sofrem, mas também os de sangue frio, como peixes e crustáceos, etc.

Abandonar o vício cultural de consumir animais, para mim, foi a consequência natural de uma longa luta contra a crueldade animal, que começou desde os meus 14 anos, quando me posicionei contra a caça esportiva, numa época em que esta crueldade era praticada como esporte no RioGrande do Sul, onde nasci.

Hoje, completando 59 anos muito bem vividos, só acrescentei batalhas às minhas lutas em defesa dos animais, em defesa de suas liberdades e do direito à vida, ao bem estar.

Esta guerra está longe de ser vencida, razão pela qual é preciso incluir na luta pelos direitos dos animais a democratização da informação e a educação ambiental capaz de formar uma nova geração de defensores dos direitos dos animais.

Tenho procurado fazer a minha parte na medida de minhas forças e possibilidades.

Acerca de duas décadas escrevi o livro O Tribunal dos Bichos, adotado nas escolas brasileiras e transformado em peça de teatro e como subsídio para motivar a criação de clubes de bem estar animal nas escolas e, através da www.revistadomeioambiente.org.br mantenho editoriapermanente para a causa dos animais.

Sim, ganhei batalhas, mas não a guerra. Esta está longe de ser vencida e por isso, enquanto houver vida, estarei lutando. Nunca se consumiu tanta carne, nunca se destruiu tanto a natureza, nunca a mentira e a hipocrisia foram tão valorizadas. Mas não é para dizer que essa guerra está perdida pois já diz a canção que é de batalhas que se vive a vida. E lembrando Darcy Ribeiro, posso não ter vencido, mas fico feliz de não fazer parte do grupo dos que me venceram.

ALERJ

Our website is protected by DMC Firewall!