Imprimir

A cidade pode revelar seus moradores - Por Ricardo Harduim

. Acessos: 1187

655

Um local com rios de águas limpas , ar puro e áreas arborizadas revela moradores com saúde , que necessitam menos dos hospitais , que ingerem menos narcóticos

Por Ricardo Harduim, Secretário Municipal de Meio Ambiente

Em muitas regiões a natureza tornou-se desafeto do homem. Não é muito difícil diagnosticar um povo que vive numa cidade em que os rios estão poluídos com lixo e esgoto. Nesse caso a população está intoxicada, doente do corpo e da mente. No corpo surgem alergias, doenças respiratórias, insônia, envelhecimento precoce. Na mente, ansiedade, depressão, irritação, estresse.

Outro agravante é que as relações interpessoais também ficam comprometidas e manifestam- se enfermidades sociais, tais como preconceito, desamor, agressividade e outras formas de violência.

Ou seja, uma cidade com rios poluídos, ar contaminado e que não possui áreas verdes, ciclovias, parques e praças adoece os moradores. Por outro lado, um local com rios de águas limpas, ar puro e áreas arborizadas revela moradores com saúde, que necessitam menos dos hospitais, que ingerem menos narcóticos. Pessoas que vivem em locais com atributos ecológicos se respeitam mais, pois viver em um meio ambiente saudável é viver em harmonia. A relação é direta entre a qualidade ambiental e o bem-estar dos moradores.

Um problema hoje é que o homem vive cercado de concreto, asfalto e aparelhos eletrônicos. Respira fumaça e ingere fastfoods com gorduras hidrogenadas, hormônios, aspartames e agroquímicos. Cada vez mais o homem se afasta da Natureza. E o distanciamento promove a desconsideração. A Natureza ‘não considerada’ aos olhos do homem é um tiro no pé da sua própria espécie. O agravante é que quem não considera também não respeita. Consideração significa “estrelas juntas” e respeito é a qualidade de registrar no peito o contentamento da presença. A Natureza é sempre presente no homem, mesmo que ele não a ‘considere’ e não a ‘respeite’. Ele necessita da água dos rios, do ar das árvores e do alimento do chão. Pode viver sem ipod mas não pode viver sem biodiversidade.

Ela, a Natureza, por sua vez, assim como o planeta, não necessita da presença do homem. Não é uma relação simbiótica, de interdependência (vital). Há sim, uma relação e até mesmouma cooperação. Há ainda uma conexão clara onde o homem não ocupa o topo da pirâmide, ele simplesmente é um todo nessa pirâmide. Igualmente a todos os outros seres vivos. Vem daí, portanto, a interdependência. A natureza dos seres vivos é a representação do ‘todo’. O mecanismo biológico é inteiro, holístico e onipresente.

Essa forma de olhar e entender pode nos levar a outra forma de vida, a um novo modelo de relação. A partir daí podemos alcançar a sustentabilidade e assim reconsiderar o ‘desenvolvimento sustentável’ que talvez seja um dos caminhos que, paradoxalmente, nos levam à degradação social com perda da nossa identidade patrimonial ambiental.


Linha direta: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. >> 2199-6549


ALERJ

DMC Firewall is a Joomla Security extension!